AVALIAÇÃO DA PRESCRIÇÃO ANTI-HIPERTENSIVA NO PROGRAMA FARMÁCIA POPULAR DO BRASIL EM UMA DROGARIA NO MUNICÍPIO DE ITAPIRA

Danyelle Cristine MARINI, Patrícia Aparecida Parizi Vieira

Resumo


O Programa Farmácia Popular do Brasil integra a Política de Assistência Farmacêutica do Ministério da Saúde, e busca ampliar o acesso da população a medicamentos essenciais. A hipertensão arterial é um problema de saúde comum e importante fator de risco para doença arterial coronariana e acidente vascular cerebral, sendo indicado o tratamento farmacológico na maioria dos casos. O presente estudo tem como objetivo avaliar o padrão das prescrições no tratamento da hipertensão. Foi realizado em uma drogaria no município de Itapira no período de 15 de março a 7 de abril de 2012, onde se avaliaram 81 prescrições atendidas pelo programa. A combinação de mais de um fármaco anti-hipertensivo ocorreu em 85,75% das prescrições, sendo a associação de
hidroclorotiazida e losartana a mais frequente, associação considerada eficaz e segura para o paciente. Duas prescrições com uma associação inadequada foram identificadas, sendo a associação de enalapril e losartana, contudo a maioria das prescrições segue padrão adequado para o tratamento da hipertensão arterial. O Programa Farmácia Popular do Brasil dispõe de medicamentos anti-hipertensivos que suprem a necessidade da população do estudo.


Texto completo:

PDF

Referências


I POSICIONAMENTO Brasileiro sobre Combinação de Fármacos Anti-Hipertensivos. Arquivo Brasileiro de Cardiologia. v. 102, nº 3, p. 203-210, 2014.

AMODEO, C.; LIMA, C. K. N. Tratamento Não Medicamentoso da Hipertensão Arterial. Simpósio Hipertensão Arterial. Ribeirão Preto, v. 29,1996, p. 239 – 243. Disponível em:

medicamentoso_ha.pdf>. Acesso em: 14 Ago 2011.

ARAN V. et al. Seventh Report of the Joint National Committee on Prevention, Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Pressure. American Heart Association, 2003. 255p.

ESTEVES P. J. et al, V diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial, São Paulo ,2007, 77p disponível em:

Hipertensao_Arterial.pdf >. Acesso em: 13 Abr 2011.

FARMACIA POPULAR DO BRASIL/FARMÁCIA – ESCOLA – UFRGS. Disponível em: Acesso em:18 março 2012, 18:24:35.

GUIMARÂES, I. J. ET al. Epidemiologia da Hipertensao Arterial. Revista Brasileira de Hipertensão. Rio de Janeiro, v. 14, 2010, p. 7 – 10.

HEIMANN C. J., Sal e Hipertensão: Aspectos Históricos e Práticos. Revista Brasileira de Hipertensão. São Paulo, v. 7, p. 11 – 13.

KUMAR, V; ABBAS, A, K; FAUSTO, N. Patologia – Bases Patológicas das

Doenças. 7. Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

MANANCIA G, et al. Reappraisal of European Guidelines on hypertension management.

A European Society of Hypertension Task Force document. J. Hypertens.

, V. 27, P.2121- 2158.

MION Jr, D. et al, Diagnostico da Hipertensão Arterial, Ribeirao Preto, 1996, Disponivel em

pdf>. Acesso em: 13 Abr2011.

MIRANDA, R. D.; PERROTI, T. C. BELLINAZZI, V. R.; NÓBREGA, T. M. CENDOROGLO, M. S. TONIOLO N. J. Hipertensão arterial no idoso: peculiaridades na fisiopatologia, no diagnóstico e no tratamento. Revista Brasileira Hipertensão, São Paulo, v. 9, nº 3, p. 293-300, jul. a set. 2002.

MURRAY, E., OSTER, J. R. Hipertensão – uma abordagem em prática.

Rio de Janeiro: Discos CBS, 1985, 149.

NETO, O. ; FRANCO, W. P. G. Avaliação da farmacoterapia anti – hipertensiva em pacientes diabéticos atendidos no Sistema Único da Saúde (SUS) na rede municipal de saúde de Salto Grande, SP. Revista de Ciências Farmacêutica Básica e Aplicada, Maringá, v. 30, nº 3, p. 323-329, set. 2009.

OLIVERA, C. M. X.; CESARINO, E. J.; FREITAS, O.; PEREIRA, L. R. L. Padrões de prescrição de Inibidores da Enzima Conversora da Angiotensina para usuários do Sistema Único de Saúde. Revista Brasileira Cardiologia, Ribeirão Preto, v. 23, nº 3, p. 171-177, maio/junho 2010.

PINTO, C. D. B. S.; COSTA, N. R.; CASTRO, C. G. S. O. Quem acessa o Programa farmácia Popular do Brasil? Aspectos do fornecimento público de medicamentos.

Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, nº 6, p. 2963-2973, 2011.

PORTAL DA SAÚDE – SUS. Disponível em: http://portal.saúde.gov.br/portal/

saúde/manual-farmácia-popular/index.html> Acesso em:18 março 2012, 18:13:33.

RENOVATO, R. D.; TRINDADE, M. F. Atenção farmacêutica na hipertensão

arterial em uma farmácia de Dourados, Mato Grosso do Sul. Infarma, Dourados, v. 16, nº 11-12, p. 49-55, 2004.

RIBEIRO, W; MUSCARÁ, M. N. Características farmacocinéticas de antagonistas de cálcio, inibidores da ECA e antagonistas de angiotensina II em humanos. Revista Brasileira Hipertensão, São Paulo, v. 8, nº 1, p. 114-124, janeiro/março, 2001.

SOUZA, M. G.; PIMENTA, E. S.; BORELLI, F. A. O. Interações e associações medicamentosas no tratamento da hipertensão – Combinações fixas. Revista Brasileira Hipertensão, São Paulo, v. 16, nº 4, p. 237-241, nov. 2009.

ZAITUNE, M. P. A.; BARROS, M. B. A.; CÉSAR, C. L. G.; CARANDINA, L.;

GOLDBAUM, M. Hipertensão arterial em idosos: prevalência, fatores associados e práticas de controle no Município de Campinas, São Paulo, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, nº 2, p. 285-294, fev. 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.