PERSPECTIVAS NA INCLUSÃO EDUCACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR

Maria Teresa R. Triñanes

Resumo


O ensino superior (ES) inclusivo, firmado na Educação para Todos, recebe matrículas de alunos com necessidades educacionais especiais (NEE). Brasil assegura adequações educacionais a esses alunos. Objetiva-se responder ao questionamento: como garantir a presença e aprendizagem exitosas deste aluno? Metodologia: revisão bibliográfica: documentos internacionais, nacionais e estudos de autores nesta temática. Resultado: observa-se o ES organizando-se à inclusão do aluno diferente sendo desafiador para ambos. Conciliar o ES com a educação especial: medida de julgamento de valor sobre a produtividade da vida acadêmica. Percebe-se sua “nudez” sobre o fazer pedagógico acadêmico articulado com as proposições da Educação Especial. Ressignificar a educação inclusiva: fomento da capacitação exitosa e inserção no mercado de trabalho da pessoa com NEE certificada em 3º grau.


Palavras-chave


Ensino Superior. Inclusão. Deficiências.

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, M. G. Ofício de Mestre: Imagens e Auto-Imagens. Petrópolis: RJ: Vozes. 2004

BEYER, H. O. Inclusão e avaliação na escola: de alunos com necessidades educacionais especiais. Porto Alegre: Mediação, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Aviso Circular nº 277/MEC/GM, de 8 de maio de 1996. Dirigido aos Reitores das IES, solicitando a execução adequada de uma política educacional dirigida aos portadores de necessidades educacionais especiais, Brasília, DF. 1996a.

_______. [Lei Darcy Ribeiro (1996)]. LDB: Lei de diretrizes e bases da educação nacional: Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. – 13. ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2016. – (Série legislação; n. 263 PDF). 1996b

_______. MEC. Decreto nº 3298/99, que regulamenta a Lei nº7853/89. Dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa com Deficiências. 1999.

_______. Declaração de Salamanca: sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais - 1994. UNESCO. 2003a.

______. Estratégias para a educação de alunos com necessidades educacionais especiais / coordenação geral: SEESP/MEC; organização: Maria Salete F. A. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2003b.

______. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos / Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. – Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO, 2007.

______. Decreto-Legislativo nº 186/08, de 9 de julho de 2008. Ratificação da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, assinado pelo presidente do Senado Federal, Senador Garibaldi Alves Filho, e publicada em 10 de julho de 2008.

______. MEC. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela Portaria nº 555/2007, prorrogada pela Portaria nº 948/2007, entregue ao Ministro da Educação em 07 de janeiro de 2008. 2008b.

______. Decreto 7234/10 | Decreto nº 7.234, de 19 de julho de 2010. Dispõe sobre o Programa Nacional de Assistência Estudantil - PNAES. 2010.

______. Lei nº 13.146m de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). 2015.

______. Lei nº 13.409, de 28 de dezembro de 2016. Altera a Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012, para dispor sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiências nos cursos técnicos de nível médio e superior das instituições federais de ensino. 2016.

______. Ministério da Educação. INEP. Censo da Educação Superior - Notas Estatísticas 2017, da Diretoria de Estatísticas Educacionais (DEED). Dispõe sobre alunos com necessidades especiais no ensino superior. Dados estatísticos por cursos de graduação presenciais. Brasília: DF: INEP. 2017a.

______. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017. 2017b.

______. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica. 2017c.

_______. Decreto nº 9.546, de 30 de outubro de 2018 para excluir a previsão de adaptação das provas físicas para candidatos com deficiência e estabelecer que os critérios de aprovação dessas provas possam seguir os mesmos critérios aplicados aos demais candidatos. 2018.

CAPELLINI, V. L. M. F. Adaptações curriculares na inclusão escolar: contrastes e semelhanças entre dois países. 1ª ed. Curitiba (PR): Appris. 2018.

CARNEIRO, M. A. Educação profissional para pessoas com deficiência: cursos e programas inteligentes. Brasília: Instituto Interdisciplinar de Brasília. 2005.

CARVALHO, R. E. A Nova LDB e a Educação Especial. Rio de Janeiro: RJ: WVA. 2007.

CASTRO, S. F.; ALMEIDA, M. A. Ingresso e permanência de alunos com deficiência em Universidades Públicas Brasileiras. In: Revista Brasileira de Educação Especial. Marília, v.20, n.2, p.179-194. 2014.

COHEN, M. Alunos no centro do conhecimento. 2017. In: Revista Educação. Disponível em: http://www.revistaeducacao.com.be/foco-no-aluno/ Acesso em: 23 fev. 2019.

CORREIA, L. M. Dez anos de Salamanca, Portugal e os alunos com necessidades educativas especiais. In: RODRIGUES, David. Inclusão e Educação: Doze olhares sobre a educação inclusiva. David Rodrigues, Org. São Paulo (SP): Summus. 2006.

BROILO, C. L.; PEDROSO, M. B.; FRAGA, E. T. Estudo Seis: Os alunos como parceiros: adesões e resistências às inovações no espaço de sala de aula. In: CUNHA, M. I. da (orgs.) Pedagogia universitária: energias emancipatórias em tempos neoliberais. Araraquara: Junqueira & Marin. 2006.

FISCHER, J. Inclusão de acadêmicos com deficiência na universidade: possibilidades e desafios. In: Para além da educação especial: avanços e desafios de uma educação inclusiva/organização Silvia Ester Orrú. – RJ: Wak Editora. 2014.

FREITAS, L. C. A Internalização da exclusão. 2002. Revista Educação e Sociedade, Campinas. v. 23, n. 80, p. 299 – 325. Disponível em: . Acesso em: maio de 2008.

GARCIA, R. M. C. Parte I. I. Políticas Inclusivas na educação: do global ao local. In: BAPTISTA, Cláudio R., CAIADO, Kátia R. M., JESUS, Denise M. et alii. (org.). Educação Especial: diálogo e pluralidade. Porto Alegre: Mediação. p. 11-23. 2008.

GOFFMAN, E. Estigma – Notas Sobre a Manipulação da Identidade Deteriorada. Trad. de Márcia B. M. L. Nunes. 4ª. ed. Rio de Janeiro, Guanabara: LTC Editora. 1988.

GONZÁLEZ, J. A. T. Educação e Diversidade: bases didáticas e organizativas. Trad. Ernani Rosa. Porto Alegre (RS): ARTMED Editora. 2002.

MANTOAN, M. T. E. (2003) Inclusão Escolar: o que é? por quê? como fazer? São Paulo: SP: Moderna.

MASETTO, M. T. Docência universitária: repensando a aula. In: Ensinar e aprender no Ensino Superior: por uma epistemologia da curiosidade na formação universitária. TEODORO, A., VASCONSCELOS, M. L. M. C.(Org.) 3ª. ed. São Paulo (SP): Universidade Presbiteriana Mackenzie. Ed. Cortez. 2012.

MELO, A. M.; COSTA, J. B.; SOARES, S. C. M. Acessibilidade: discurso e prática no cotidiano das bibliotecas / Organizado por: Deise Tallarico Pupo, Amanda Meincke Melo, Sofia Pérez Ferrés. Campinas, SP: UNICAMP/Biblioteca. Central Cesar Lattes. 2008.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do Capital. Trad. Isa Tavares - São Paulo: Boitempo. 2005.

MITTLER, P. Educação Inclusiva: contextos sociais. Trad. Windyz Brazão Ferreira. Porto Alegre (RS): Artmed. 2003.

MOREIRA, L. C. O acesso do aluno com deficiência à universidade: em discussão as bancas especiais e o sistema de reservas de vagas. In: MARQUEZINE, Maria Cristina; BUSTO, Rosângela Marques; FUJISAWA, Dirce Shizuko (Org.). Reflexões, experiências e práticas sobre inclusão. São Carlos (SP): ABPEE: Marquezini & Manzini. 2014.

ONU. Relatório da ONU sobre deficiência e desenvolvimento aponta lacunas na inclusão. Íntegra do relatório, em inglês – https://www.un.org/development/desa/disabilities/wp-content/uploads/sites/15/2018/12/UN-Flagship-Report-Disability.pdf Disponível em: https://www.inclusive.org.br/arquivos/31350 Acesso em: 3 fev. 2019.

RODRIGUES, D. (Org.) Inclusão e educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo (SP): Ed. Summus. 2006.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica: Primeiras Aproximações. 10ª. ed. rev. Campinas: SP: Autores Associados. 2008.

_________. Educação escolar, currículo e sociedade: o problema da Base Nacional Comum Curricular. In: Revista de Educação: Movimento. Universidade Federal Fluminense. Faculdade de Educação. Ano 3. nº 4. 2016.

SANTOS, A. F. Educação inclusiva no ensino superior: o docente universitário em foco. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia (MG). 2009.

VALLE, I. R. Sociologia da educação, currículo e saberes escolares. Florianópolis (RS): Ed. Da UFSC, 2011.

VICTOR, S. L.; OLIVEIRA, I. M. (Org.) Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva: concepções e práticas educacionais. Marília: ABPEE. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.