ATENÇÃO FARMACÊUTICA: AVALIAÇÃO DAS INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS ENTRE OS PACIENTES IDOSOS PELA ANÁLISE DE PRESCRIÇÕES

Bruna Jacinto, Danyelle Cristine Marini

Resumo


Os idosos é o grupo etário que mais consome medicamentos. O uso indiscriminado de fármacos pode ser apontado nas falhas da prescrição médica. Sendo assim, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a quantidade de medicamentos usados pelos idosos a partir de 65 anos por meio da análise de prescrições, focando nas interações medicamentosas e os riscos que os mesmos proporcionam aos pacientes. A pesquisa foi realizada em uma drogaria da cidade de Mogi Guaçu, na qual os dados foram avaliados em 100 prescrições médicas e também ocorreu um levantamento de informações complementares aos resultados por meio da aplicação de um questionário. A maioria dos entrevistados eram portadores de hipertensão arterial sistêmica e faziam a administração de medicamentos que atuam no sistema cardiovascular. Verificou-se que 56% das prescrições apresentavam a polifarmácia, contendo 5 a mais medicamentos, foi detectada 82 prescrições com uma ou mais interação medicamentosa e identificados 10 medicamentos potencialmente inapropriados aos idosos de acordo com os Critérios de Beers-Fick. Nesse contexto, fica clara a importância do papel do farmacêutico em detectar falhas na prescrição geriátrica, a fim de evitar uma dispensação inapropriada e um agravo para a saúde do paciente.


Palavras-chave


idosos. Interações Medicamentosas. Prescrição Médica. Dispensação.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, C. L. Conhecimento de idosos sobre o uso de medicamentos e interação medicamentosa. RBCEH, Passo Fundo, v. 8, n. 2, p. 188-195, 2011. Disponível em: . Acesso em: 03 de setembro de 2014.

AZIZ, M. M. et al. Prevalência e fatores associados ao acesso a medicamentos pela população idosa em uma capital do sul do Brasil: um estudo de base populacional. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 27, n. 10, p. 1939-1950, 2011. Disponível em: . Acesso em: 28 de outubro de 2015.

BALDONI, A. O.; PEREIRA, L. R. L. O impacto do envelhecimento populacional brasileiro para o sistema de saúde sob a óptica da farmacoepidemiologia: uma revisão narrativa. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, São Paulo, v. 32, n. 3, p. 313-321, 2011. Disponível em: . Acesso em: 24 de agosto de 2014.

BANDEIRA, V. A.C.; PAI, C. T. D.; OLIVEIRA, K. R. Uso de anti-inflamatórios não esteroides por idosos atendidos em uma Unidade de Estratégia de Saúde da Família do município de Ijuí (RS). RBCEH, Passo Fundo, v. 10, n. 2, p. 181-192, 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 de outubro de 2015.

BARROS, E.; BARROS, H. M. T. Medicamentos na prática clínica. Porto Alegre: Artmed, 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 de janeiro de 2015.

BERNARDES, A. C. A.; CHORILLI, M.; FRANCO, Y. O. Intoxicação medicamentosa no idoso. Saúde Rev., Piracicaba, v. 7, n. 15, p. 53-61, 2005. Disponível em: . Acesso em:

de março de 2015.

BOTOSSO, R. M; MIRANDA, E. F.; FONSECA, M. A. C. Reação adversa medicamentosa em idosos. RBCEH, Passo Fundo, v. 8, n. 2, p. 285-297, 2011. Disponível em: . Acesso em: 29 de outubro de 2015.

BUENO, C. S. et al. Utilização de medicamentos e risco de interações medicamentosas em idosos atendidos pelo Programa de Atenção ao Idoso da Unijuí. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, Unijuí, v. 30, n. 3, p. 331-338, 2009. Disponível em: . Acesso em: 30 de outubro de 2015.

CARVALHO, M. F. C. et al. Polifarmácia entre idosos do Município de São Paulo - Estudo SABE. Revista Brasileira Epidemiol, São Paulo, v. 15, n. 4, p. 817-827, 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 de novembro de 2015.

CASTELLAR, J. et al. Estudo da farmacoterapia prescrita a idosos em Instituição Brasileira de longa permanência. Acta Med Port, Brasília, n. 20, p. 97-105, 2007. Disponível em: . Acesso em: 04 de fevereiro de 2015.

CUNHA, S. C.; MONTEIRO, M. P.; COELHO FILHO, J. M. Perfil e adequação dos medicamentos prescritos para idosos internados em hospital de ensino da cidade de Fortaleza – CE. RBCEH, Passo Fundo, v. 7, n. 3, p. 406-418, 2010. Disponível em: . Acesso em: 04 de fevereiro de 2015.

FLEMING, I.; GOETTEN, L. F. Medicamentos mais utilizados pelos idosos: Implicações para a enfermagem. Arq. Ciênc. Saúde Unipar, Umuarama, v. 9, n. 2, p. 121-128, 2005. Disponível em: . Acesso em: 13 de março de 2015.

FREDERICO, P. M. Interações medicamentosas potenciais dos anti-hipertensivos: uso perigoso entre idosos. Dissertação (Mestre em Ciências) – Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Rio de Janeiro, 2012. Disponível em:. Acesso em: 02 de novembro de 2015.

GALVÃO, C. O idoso polimedicado – estratégias para melhorar a prescrição. Rev. Port. Clin. Geral, Serpa, v. 22, n. 6, p. 747-752, 2006. Disponível em: . Acesso em: 05 de fevereiro de 2015.

LUCCHETTI, G. et al. Fatores associados à polifarmácia em idosos institucionalizados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, 2010. Disponível em: . Acesso em: 29 de outubro de 2015.

MONTEIRO, O. R. B. A ocorrência de polifarmácia entre idosos assistidos pela estratégia saúde da família. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2010. Disponível em: . Acesso em: 28 de outubro de 2015.

NASCIMENTO, D. M; PIGOSO, A. A. Interação medicamentosa entre anti-hipertensivos e anti-inflamatórios não esteroidais. Revista Científica da FHO – UNIARARAS, Araras, v.1, n.1, p. 14-17, 2013. Disponível em: . Acesso em: 03 de novembro de 2015.

OLIVEIRA, A. B. et al. Obstáculos da atenção farmacêutica no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, São Paulo, v. 41, n. 4, 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-93322005000400002&script=sci_arttext>. Acesso em: 13 de fevereiro de 2015.

OLIVEIRA, J. G. et al. Interações medicamentosas em idosos do grupo da “Melhor Idade” de uma Faculdade Privada do município de Valparaíso de Goiás-GO. J Health Sci Inst., Valparaíso, v. 31, n. 4, p. 410-413, 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 de outubro de 2015.

ROZENFELD, S. Prevalência, fatores associados e mau uso de medicamentos entre os idosos: uma revisão. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 717-724, 2003. Disponível em: . Acesso em: 27 de outubro de 2015.

SÁ, J. R.; VIDOTTO, T. M. Novas perspectivas de tratamento medicamentoso do diabetes mellitus. Jornal Brasileiro de Medicina, Rio de Janeiro, set/out. 2012. Disponível em: . Acesso em: 04 de novembro de 2015.

SCHENKEL, E. P.; MENGUE, S. S.; PETROVICK, P. R. Cuidado com os medicamentos. 5. ed. Florianópolis: UFSC, 2010. 256p.

WOLD, G. H. Enfermagem Gerontológica. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013. Disponível em: . Acesso em: 25 de janeiro de 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.