O USO SUSTENTÁVEL DO PINUS ELLIOTTII PARA A FABRICAÇÃO DO MLC – MADEIRA LAMINADA COLADA

Rafael Depieri, Andressa Carolina Elvino Santos, Odilon Antonio Leme da Costa

Resumo


A Madeira Laminada Colada (MLC) é um produto da engenharia com muitas qualidades, dentre elas a alta capacidade de carga, a sustentabilidade, e a leveza quando comparado com aço e concreto de mesma massa. A fabricação da madeira laminada colada é feita pela união de várias lâminas ou tábuas de madeira, que são unidas pela aplicação de colas ou resinas. Essas são colocadas nas prensas para que com a união de cada tábua ou lâmina ao final do processo forme uma única estrutura. A utilização da madeira da espécie Pinus elliottii como alternativa sustentável, possui características que favorecem sua utilização, como o crescimento rápido, fibras longas, resistência a pragas e seu baixo consumo de água durante seu período de crescimento. Atualmente a sustentabilidade é muito discutida, a utilização de materiais renováveis e a ideia de um planeta sustentável trazem mais força e confiança neste setor da madeira engenheirada. Foram coletadas informações de diversos artigos científicos, teses sobre a madeira, além de sites especializados e da leitura de normas internacionais, tais como: a norma Canadense CAN/CSA 0177 – 2006, a Americana AITC A190.1 – 2007 e a Europeia EUROCODE 5. A sustentabilidade exige conscientização de todos os agentes envolvidos, pois as práticas atuais extrapolam a capacidade regenerativa da natureza. A utilização da madeira laminada colada leva a engenharia a novos patamares, possibilitando o avanço e o desenvolvimento de estruturas mais arrojadas e esbeltas, aliando a harmonia da madeira com o ambiente e sua resistência ao suporte de grandes cargas.

Palavras-chave


Madeira Laminada Colada (MLC). Sustentabilidade. Pinus elliottii

Texto completo:

PDF PDF

Referências


ABIMCI - Associação Brasileira da Indústria da Madeira Processada e Manufaturada – Estudo Setorial 2009 ano base 2008 – Curitiba, 2009.

AITC A190 - American National Standard for Wood Products. Structural Glued Laminated Timber, Colorado, 2007.

CALIL JUNIOR, C. (COORD); Revisão ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, Revisão NBR 7190/2011 – Projetos Estrutura de Madeira, Rio de Janeiro, 2011.

CALLIL NETO, C, Recomendações para o sistema de controle de qualidade para a produção de madeira laminada colada (MLC) certificada. Itapeva, SP, 2008.

CARPINTERIA, Madeira Laminada Colada. Disponível em . Acesso em 14 abr. 2016.

DEMERCHANT, C; Resorcinol Glue, 2016. Disponível em Acesso em 01 maio 2016

FANTINATTI, P. A. P., FERRÃO André, e ZUFFO Antônio (coord.); Indicadores de sustentabilidade em engenharia: como desenvolver. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

FSC, Floresta para todo sempre. Disponível em Acesso em: 01 maio 2016.

HASELEIN, C. R. et al. Características estruturais da Madeira de Pinus elliottii Engelm aos 30 anos de idade. Ciência Florestal, v. 10, n. 2, p. 135-144, 2000.

HEXION; Emulsion Polymer Isocyanate (EPI) Adhesives, 2016. Disponível em Acesso em: 1 maio 2016

ICIMOTO, F. H; Dormentes em madeira laminada colada de Pinus oocarpa, São Carlos, 2013

PFEIL, W; PFEIL, M, Estruturas de Madeira: Dimensionamento Segundo a Norma Brasileira NBR 7190/97 e Critérios das Normas Norte-Americanas NDS e Europeia EUROCODE 5, 6 ed. rev. e ampl. [Reimpr], Rio de Janeiro, LTC, 2013.

REWOOD. Soluções Estruturais em Madeiras. Disponível em < http://www.brarewood.com.br/> Acesso em: 05 ago. 2016.

RIBEIRO, W. C (ORG). Patrimônio Ambiental Brasileiro. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2003.- (Uspiana: Brasil 500 Anos). 2003.

SEBRAE, Certificação da madeira (ano 1993). Disponível em Acesso em: 30 abr. 2016

SILVA, B. B. R., Desenvolvimento de Adesivos de Poliuretano a Base de Óleo de Mamona, 2006. Disponível em Acesso em: 30 abr. 2016

SILVA, J. E. E.; Estudo da influência das resinas termo fixas ureia formaldeído (UF) e melanina formaldeído (MF) nas características físicas e mecânicas de painéis MDF. 2013, 65 p.Trabalho de conclusão de curso (licenciatura - Química) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências, 2013. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2016

VALVERDE, S. R. et al, Silvicultura brasileira – oportunidades e desafios da economia verde. Coleção de estudos sobre diretrizes para uma economia verde no brasil, 2012. Disponível em Acesso em: 11 jun. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.